Açaí pode ajudar na prevenção do câncer

Pesquisa mostra que adição da fruta durante a fermentação do leite estimula a produção de ácido que auxilia na prevenção de alguns tipos de câncer

SXC

NOVA FUNÇÃO

Além de energético, açaí pode ser um importante aliado na luta contra o câncer

Tradicionalmente conhecido por suas propriedades energéticas, o açaí deixou de ser uma fruta consumida por esportistas e foi incorporado ao cardápio dos brasileiros na forma de bebidas, doces, geleias e sorvetes nos últimos anos. Agora, um estudo publicado no International Dairy Journal mostra que a mistura da polpa do açaí durante a fermentação do iogurte pode ajudar a prevenir o câncer e fornecer nutrientes importantes para o nosso corpo.

O trabalho, coordenado pela professora Maricê de Oliveira, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP), concluiu que a fruta estimula a produção do chamado ácido linoleico conjugado (CLA) por linhagens de bactérias presentes na fermentação do iogurte. O CLA, segundo ela, auxilia na prevenção de alguns tipos de câncer, como o colorretal, de estômago e de mama.

O estudo também focou o potencial benéfico do açaí sobre o perfil lipídico do iogurte. Isso quer dizer que o açaí, ao ser misturado no iogurte, promoveu um aumento do teor de ácidos graxos benéficos à saúde. “Tais ácidos estão presentes em maior quantidade em gorduras de origem animal, mas cuja ingestão diária deve ser controlada”, afirma Maricê. “Nosso experimento demonstrou que o iogurte desnatado probiótico fermentado com açaí contribui para a ingestão diária desses ácidos bons para o organismo sem aumentar a ingestão de indesejados alimentos gordurosos.” Além disso, a polpa do açaí é rica em compostos que possuem uma reconhecida capacidade antioxidante. Essa propriedade da fruta assegura a melhor circulação sanguínea e faz a proteção do organismo contra o acúmulo de placas de gordura nas artérias.

A pesquisadora afirma que não é possível fazer o iogurte de açaí em casa, pois, para que o CLA seja formado, é preciso que a fermentação ocorra de forma industrial e controlada. “Mas nosso objetivo é que ele seja vendido nos supermercados no futuro”, diz. De acordo com Maricê, o próximo passo de sua pesquisa é realizar testes em humanos para verificar o potencial da mistura. Ela acredita que isso acontecerá em breve.

Link Original: http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/1,,EMI148684-15257,00.html

A facilidade de absorção do colágeno

A indústria alimentícia vem desenvolvendo produtos como colágeno em pó ou colágeno hidrolizado. Por meio da

ingestão de suplementos alimentares desta natureza o nosso organismo obtém de maneira significativa e eficaz os

benefícios do colágeno.

O colágeno em pó permite que o nosso organismo mantenha uma quantidade de massa muscular adequada,

ajudando-o a utilizar eficientemente suas reservas lipídicas e de açúcar.

Além disso, o colágeno em pó é um eficiente aliado contra processos de flacidez tecidual e, quando aliado à

atividade física, torna-se uma excelente fonte protéica, capaz de sintetizar massa magra, mantendo, assim, o

aspecto jovial do nosso corpo.

Propriedades Fisiológicas

Regeneração tecidual

Refluxo (RGE, RVU)

Tratamento de lesões ulcerativas no trato gastrointestinal

Promoção de apoptose em células tumorais

Cartilagem

Osteoartrite

Osteoporose

Efeito inibitório da ACE (anti-hipertensivo)

Tratamento de trombose (destruição coágulos sanguíneos)

Auxilia no fortalecimento das unhas

Auxilia no crescimento e fortalecimento capilar

Auxilia na hidratação da pele

Efeito no tecido cutâneo

Colágeno Hidrolisado

“A absorção e ação do colágeno em pó ocorrem nos primeiros momentos da ingestão, pois o produto é facilmente absorvido, por ser pré-digerido, caindo diretamente na corrente sangüínea assim que ingerido, beneficiando todo o

organismo, funcionando ainda como reserva orgânica no processo de regeneração e revitalização” observa Farfan.

A importância do colágeno hidrolisado na alimentação

O chamado colágeno hidrolisado é um tipo especial de gelatina. O que o diferencia da gelatina tradicional é a sua

característica de não formar gel, isso porque aplica-se um maior grau de hidrólise na sua extração. Essa

peculiaridade do colágeno hidrolisado o torna mais fácil de ser consumido, já que é solúvel a frio e poder ser

misturado a vários tipos de alimentos, sem alterar sabor, odor ou textura.

A ciência moderna define a gelatina como uma proteína purificada, de origem animal, isolada através de hidrólise

parcial das proteínas do colágeno, encontradas naturalmente em peles de animais.

De acordo com Farfan, a gelatina é um alimento puro e é composta por cerca de 84-90% de proteínas, 2% de sais

minerais e água. É livre de carboidratos e gorduras, assim como de colesterol ou purinas.

“A mais importante propriedade da gelatina é sua capacidade de formar um gel termo-reversível, a partir de

soluções com amplos limites de concentração, isto é, podemos converter uma solução para a forma sólida e

reconvertê-la para a forma líquida, por meio de aquecimento. Por esta razão, é um agente de ligação ideal e

encontra usos nas mais variadas aplicações, como: sobremesas de gelatinas, gomas de gelatinas,“marshmallows”,

caramelos, doces, iogurtes, mousses, queijos cremosos, “aspics” e muitos mais. Gelatina é também importante em

aplicações farmacêuticas e fotográficas”, acrescenta o professor.

Segundo Farfan, como a gelatina e o colágeno hidrolisado são fontes de nutrientes úteis para a manutenção da boa

saúde de ossos, cartilagens, tendões e pele, é recomendado que mantenhamos uma ingestão constante dessas

proteínas ‘colagenosas’.

Fonte: Agência Brasil – ABr.